O que é Felicidade pra você? É  uma meta a longo prazo, é um estado permanente, uma condição que pode sofrer variações ao longo do tempo? A definição de felicidade e o sentido que cada um confere a essa palavra varia conforme a cultura, o contexto social, as crenças, entre outros fatores. Trago aqui uma reflexão a partir de pensamentos de um homem que viveu, como muitos dizem, a frente do seu tempo.

 

Joseph Pilates, em seu primeiro livro, intitulado Your Health (Sua Saúde) de 1934, falava com convicção sobre os motivos pelos quais as pessoas dificilmente se sentiam em plenitude em todos os campos da vida, e o principal deles era o quanto de energia não era direcionado para o auto cuidado. Assim, independente da idade ou condição social, haveria sempre o momento em que o indivíduo não veria sentido em mais nada, se sentiria vazio.

 

Para ele, a noção de auto cuidado deveria ser construída desde a infância, o que muitas vezes não ocorria devido a falta deste conceito presente na vida dos pais e das pessoas que faziam parte do convívio da criança.

 

Pilates acreditava que a felicidade poderia ser experienciada a partir do equilíbrio entre corpo, mente e espírito. Ele dizia ainda que não poderia haver dissociação entre estes "elementos” e, se houvesse, as doenças poderiam surgir, originadas de hábitos ruins. Ele orientava que as pessoas pudessem estar mais ao ar livre, realizassem mais movimentos, que pudessem se alimentar com mais frequência do que vem da natureza, que pudessem estar mais conectadas consigo mesmas, tendo tempo para si e para aproveitar o que os recursos financeiros poderiam lhe oferecer sem mergulhar no abismo do materialismo. Que orientassem e exemplificassem melhor o que seria uma vida feliz para seus filhos, com bons hábitos diários. 

  

Enfim, o que tudo isso tem a ver com felicidade? Tem a ver com entender o propósito de vida, o que faz bem para o seu corpo, para sua mente e para o seu espírito.

 

Por fim, cabe aqui uma reflexão do prórpio Pilates: “Não interessa o que você faz, e sim como  você faz”. E, humildemente, tomo a liberdade de incluir uma reflexão adicional:  O que você tem feito em prol de sua felicidade? Hoje? No momento presente? A felicidade é agora, mãos à obra! 

 

 

 

 

 

  

Ivana Oliveira de Freitas
Fisioterapeuta
CREFITO 3/188777-F

Compartilhe:
Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn