(Relato de uma das sócias proprietárias da Clínica, Marcela Jacob)

 

 

 

 

"Este será meu primeiro Dia das Mães, graças a você!

 

Quanta coisa se passou desde seu nascimento até hoje! Filho, você é um fruto de um amor incrível que vivo e conseguiu superar e transformar ainda mais a nossa realidade e nossos sentimentos.

 

Com você, tenho aprendido muito! Desde a gestação, começaram as restrições - café, chocolate, bebidas alcoólicas, refrigerantes e comidas não tão saudáveis. Pra quem me conhece, sabe que esta mudança só se tornou realidade em minha vida por ser por você! Por que será que quando era apenas por mim, não tinha tanta determinação? Fui aprendendo a respeitar mais meus limites, quando sentia muito sono, ou dores nas costas ou falta de ar... Fui afinando minha intuição.

 

Te senti comigo desde quando soube da gravidez! Não esqueci de você nenhum dia! 

 

Quantas conversas tivemos com você em meu ventre, quando te apresentava ao mundo, e quando você me acompanhava no trabalho e escutava com a mamãe as vidas e dificuldades que alguns pacientes vivem! Como isso nos humaniza, não é?! Lembro de ficar preocupada de você "sofrer" por escutar alguns aspectos humanos difíceis de serem vividos, e ao sair da Clínica, ia conversando com você e explicando como as relações são, como podem ser, e sobre o sentido da nossa existência. Lembro até de brincar com você falando que tudo o que a gente escuta durante a sessão é sigiloso e que você não podia contar pra ninguém! Durante toda a gestação, você foi meu maior companheiro! Ia onde eu estava, comia o que eu comia, sentia o que eu sentia. Quanta responsabilidade!

 

Quando você nasceu, eu quis retribuir sua companhia, me propus a ficar sem trabalhar por um período indeterminado, só para sentri a maternidade se manifestar em mim e acompanhar o nosso desenvolvimento, como mãe e filho!

 

Que loucura que foi o primeiro mês!!! Toda grande transformação impacta desde o nível mais físico até o espiritual! Porém, no primeiro mês, o nível físico gritou! Lembro-me de falar com o papai sobre o amor que sentíamos por você! Eu contava para ele que estava começando a entender porque o vínculo de mãe e filho é o vínculo mais impactante nesta vida... Além da vivência da gestação e do parto, o pós-parto é o momento mais intenso de doação que é exigida da mãe, o famoso amor doação! Eu queria dormir, mas não podia, pois você estava acordado e queria ficar no colo. Eu queria tomar banho, mas você só estava há 30 minutos no meu seio e não tinha completado a amamentação. Como era possível que escovar os dentes havia se tornado luxo? rs Sim!!! O amor existiu desde o momento que soube da sua existência, mas o amor doação foi e vem sendo lapidado no dia a dia, a cada minuto, a cada afazer, a cada vontade reprimida e em cada planejamento.

 

Que alegria foi receber seu primeiro sorriso!!! Quantos momentos já vivi com você e te falei: "Agora espera um pouco, deixa a mamãe te olhar sem piscar pra registrar este momento em minha memória!" A vida com você ganhou um novo sentido! E se eu te falar que o sentido que minha vida tinha antes se tornou tão insignificante, você acredita?

 

Você transformou a mamãe e o papai em uma família!!!

 

Você me fez entender melhor o propósito de Deus quando fala em vivermos uma unidade! A mamãe tinha que se doar inteiramente a você nos primeiros meses e não conseguia cuidar de mim mesma, nem da casa, nem da comida,... Eu queria muito te amamentar e sabia que para isso, tinha que me alimentar bem, beber muita água e descansar. Para conseguir fazer isso, o papai foi imprescindível além de todo o suporte da família. Comecei a entender a proposta de Deus de um zelar pelo outro em prol da nossa unidade. 

 

Você me ensinou a amar de uma forma que nunca havia amado antes, e que amar é o que me une ao outro e o que me tira de mim. E a sensação que traz é que sou maior, mais ampla. 

 

Te amo, meu filho! E muito obrigada por tudo!!!" 

 

 

Marcela Jacob

Compartilhe:
Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn